30 de dez de 2010

UM FELIZ E ABENÇOADO ANO NOVO!

Como fazer de 2011 um Feliz Ano Novo? Comecemos, por tudo, dando Graças a Deus! E depois de agradecer por todas as bençãos e graças que recebemos neste ano que termina, ofereçamos ao Senhor, nosso Deus, os nossos corações, para que neles reine a Sua Paz e para que, com Ele, aprendamos a aceitar os limites de cada um e entender melhor uns aos outros, sustentados sempre pelo Seu Amor, Ágape, incondicional, que nada espera, o Amor sem limites!
Como disse Madre Tereza de Calcutá, “no final das contas é entre você e Deus. Nunca foi entre você e as outras pessoas.” E assim temos muitos exemplos de pessoas que viveram na santidade, sendo instrumentos da Paz de Deus e sinais do Seu Amor no meio dos homens. Certamente, ao final de suas vidas, puderam afirmar que combateram o bom combate e que guardaram a fé, como São Paulo. Terminaram suas jornadas neste mundo, felizes e em paz, pois descobriram que o segredo da felicidade é viver o Amor, a Caridade.
E, se até mesmo fiéis de outras religiões e seitas que não reconhecem Jesus como o Filho de Deus e nosso Salvador descobrem que viver a caridade é o caminho certo para uma vida feliz, tanto mais nós, que a cada ano, na época do Advento, preparamos os nossos corações para receber, como na manjedoura da gruta de Belém, o próprio Deus, o próprio Amor, que se fez carne para habitar entre nós.
Neste Tempo do Natal, peçamos a Jesus, de corações abertos, que Ele faça os nossos corações realmente semelhantes ao Seu Sagrado Coração, pois só assim estaremos em verdadeira comunhão com Deus para termos um Feliz e Abençoado Ano Novo!
Agradeço aos velhos e sos novos amigos por terem visitado e divulgado o "blog". Muito obrigado também pelos comentários e pelas lindas mensagens deixadas aqui e enviadas por e-mail. Que em 2011 possamos continuar juntos neste humilde projeto de evangelização. Vamos viver o Evangelho de Jesus Cristo e proclamar a Palavra de Deus aos que mais precisam! Vamos viver o Amor Ágape, incondicional, que não pensa em recompensas, o Amor sem limites!
DESEJO-LHES UM FELIZ E ABENÇOADO ANO NOVO!

26 de dez de 2010

SAGRADA ESCRITURA, O CAMINHO DA VIDA! PAPA ALMOÇA COM OS POBRES.

Quando deres alguma ceia, não convides os teus amigos, nem teus irmãos, nem os parentes, nem os vizinhos ricos. Porque, por sua vez, eles te convidarão e assim te retribuirão.
Mas, quando deres uma ceia, convida os pobres, os aleijados, os coxos e os cegos.
Serás feliz porque eles não têm com que te retribuir, mas ser-te-á retribuído na ressurreição dos justos.
(Lc 14, 12-14)
O Papa Bento XVI promove duas iniciativas concretas durante o Tempo de Natal deste ano.
O Papa Bento XVI almoçou neste domingo com 350 pessoas carentes que vivem em Roma, entre eles um muçulmano e um chinês, na Sala Paulo VI do Vaticano.
Os convidados do Pontífice foram pessoas pobres e imigrantes sem-teto, que recebem cuidados das Missionárias da Caridade, a congregação fundada pela beata madre Teresa de Calcutá (1910-1997).
"Queridos amigos, o Papa gosta de vocês, tem vocês no coração, envolve a todos em um abraço paterno e reza por vocês", disse Bento XVI no discurso que pronunciou durante o almoço, informou o Vaticano.
O Papa ressaltou a figura da madre Teresa de Calcutá. Segundo ele, a beata, que "viveu de maneira humilde por amor a Deus", dizia que seu "maior prêmio era amar Jesus e servi-lo por meio dos pobres". Madre Teresa, acrescentou Bento XVI, dá aos homens a certeza de que "Deus jamais nos abandona".
O almoço foi realizado no mesmo lugar onde o Papa costuma fazer suas refeições com os cardeais em momentos importantes da Igreja. No dia 5 de janeiro, o Papa Bento XVI deverá visitar crianças doentes do hospital Gemelli, de Roma, na vigília da festividade dos Reis Magos.
Fonte: Terra Notícias

23 de dez de 2010

NATAL DO SENHOR!

PRESÉPIO VIVO EM TREZE TILIAS, SANTA CATARINA.
A Igreja celebra, com a solenidade do Natal, a manifestação do Verbo de Deus aos homens. É este de fato o sentido espiritual que decorre da própria liturgia, que oferece para a nossa meditação o nascimento eterno do Verbo, o Filho Jesus.
Um antigo documento, o Cronógrafo do ano de 354, atesta a existência em Roma desta festa a 25 dezembro, que corresponde à celebração pagã do solstício do inverno, isto é, o nascimento do novo sol que, após a noite mais longa do ano, retomava novo vigor.
Celebrando neste dia o nascimento daquele que é o verdadeiro Sol, a luz do mundo, que surge da noite do paganismo, pretendeu-se dar um significado novo, totalmente novo, a uma tradição pagã vivida pelo povo, pois coincidia com as férias de Saturno, durante as quais os escravos recebiam presentes dos seus senhores e eram convidados a se sentarem à mesa de seus donos como cidadãos livres.
Os presentes natalícios, porém, pretendem chamar a atenção para os presentes dos pastores e dos reis magos ao Menino Jesus.
No oriente, o nascimento de Jesus era festejado no dia 6 de janeiro, com o nome de Epifania, que quer dizer manifestação. Depois também a Igreja oriental começou a celebrar na data de 25 de dezembro, conforme encontramos em Antioquia pelo ano de 376 no tempo de são João Crisótomo, e em 380 em Constantinopla. Enquanto isso, no Ocidente, era introduzida a festa da Epifania, última festa do ciclo natalício, para comemorar a revelação da divindade de Cristo ao mundo pagão. Os textos de liturgia natalícia , formulados numa época de reação à heresia de Ário sobre a Trindade, enfocam com a força de uma calorosa poesia e com rigor teológico a divindade do Menino nascido na gruta de Belém, a sua realeza e onipotência, para convidar-nos à adoração do insondável mistério do Deus revestido de carne humana, filho da puríssima Virgem Maria.
A encarnação de Cristo marca a participação direta dos homens na vida divina. A restauração do homem mediante o nascimento espiritual de Jesus nas almas é o tema sugerido pela devoção e pela piedade cristãs, que além das comoventes tradições natalícias florescidas às margens da liturgia, convida a meditar anualmente sobre o mistério da nossa salvação em Cristo Senhor.
Fonte: Catolicanet

18 de dez de 2010

UM FELIZ E SANTO NATAL!

AS SEMENTES DE DEUS
Entrei em uma loja, vi um Anjo maravilhoso no balcão e perguntei:
–Santo Anjo do Senhor, o que tens aqui?
–Todos os dons de Deus- respondeu o Anjo.
–E custa muito?- perguntei.
–Não custa nada, aqui tudo é de graça- respondeu.
Contemplei a loja e vi que havia jarros de amor, vidros de fé, pacotes de esperança e caixas de salvação eterna. Pedi um pouco de tudo.
Então o Anjo preparou e entregou-me um pequenino embrulho que cabia na palma da mão. Incrédulo, eu disse:
–Mas como é possível estar tudo o que eu pedi aqui?
Sorrindo, o Anjo me respondeu:
–Meu querido irmão, aqui na loja de Deus não temos os frutos, só as sementes... Plante-as!!!
Assim, você terá sempre um NATAL FELIZ e um ANO NOVO repleto de esperanças e realizações!
Autor desconhecido

PLANTE AS SEMENTES DE DEUS E COLHA A ALEGRIA DE SENTIR JESUS NASCENDO EM SEU CORAÇÃO!
TENHA UM FELIZ E SANTO NATAL E UM ANO NOVO ABENÇOADO!

11 de dez de 2010

12 DEZEMBRO - DIA DE NOSSA SENHORA DE GUADALUPE.

A BASÍLICA ANTIGA E A NOVA, DE NOSSA SENHORA DE GUADALUPE, NA CIDADE DO MÉXICO.
O cristianismo chegou ao México com os conquistadores. Guerreiro e religioso, o povo asteca convivia com a morte na prática de sua religião. Contava uma das muitas lendas, que os deuses céu e terra geraram os deuses lua e estrelas. Um dia, a terra ficou grávida e concebeu o deus sol. Os astecas ofereciam sacrifícios humanos para fortalecer o sol mas, com a dominação espanhola, os sacrifícios humanos foram proibidos.
No México, onde os astecas adoravam os deuses sol, terra, lua e estrelas, Nossa Senhora apareceu a Juan Diego, um índio asteca já convertido. Disse a ele que falasse ao bispo de sua visão e que Ela queria que fosse construída uma igreja naquele local para que pudesse ajudar àqueles que a invocassem. O local é o centro geográfico do continente americano, símbolo de que Nossa Senhora é a Rainha das Américas. Juan Diego passava sempre por ali para ir à missa. Caminhava quilômetros para ouvir a palavra de Deus. Ele teve uma visão no dia 9 e outra no dia 10 de dezembro de 1531. Quando ouviu o relato dos fatos, o bispo não acreditou e pediu a Juan Diego uma prova. No dia seguinte ele não saiu de casa porque cuidava do tio que estava muito doente. No dia 12, foi por outro caminho para buscar um padre, pois o tio estava quase morrendo. A Senhora lhe barrou a caminhada e ele falou a Ela o que estava acontecendo. Então Ela disse:–“Não estou aqui Eu que sou tua Mãe? Não te aflijas com a doença de teu tio, pois ele já sarou”. Confortado com a notícia, ele contou à Senhora que o bispo queria uma prova de suas visões. Ela então fez surgir rosas grandes e perfumadas no alto do monte Tepeyac. Aquele não era um lugar onde brotassem flores de qualquer espécie, porque havia muitas ervas daninhas e, além disso, era inverno no hemisfério norte e o gelo estragava tudo. Ele cortou as rosas e as guardou em seu poncho. Em seguida, levou-as ao bispo e desdobrou o poncho na frente dele e de outras pessoas.
MANTO COM A IMAGEM DE NOSSA SENHORA DE GUADALUPE, EXPOSTO ATUALMENTE NA BASÍLICA NOVA.
Depois que as flores cairam no chão, apareceu milagrosamente impressa no poncho a bela imagem da Mãe de Deus. A imagem se mantem da mesma forma como surgiu e está exposta no seu templo de Tepeyac, que tem o nome de Guadalupe. O manto, feito de uma fibra vegetal que normalmente dura no máximo 30 anos, permanece perfeitamente conservado por 5 séculos.
Resumo do livro do Pe. Oscar Quevedo sobre Nossa Senhora de Guadalupe

JARDINS ATRÁS DA BASÍLICA.
O video abaixo, sobre os enígmas da Virgem de Guadalupe, está em espanhol, mas é fácil de entender.

Os enigmas da Virgem de Guadalupe.

DEUS É CAPAZ!


PREPARE-SE PARA A CHEGADA DO MENINO DEUS! RECEBA-O DE CORAÇÃO ABERTO NESTE NATAL E VERÁ QUE ELE É CAPAZ DE TRANSFORMAR SUA VIDA!

3 de dez de 2010

ESCULTURAS VIVAS!










DETALHES DE "DAVID", DE MICHELANGELO, NA GALERIA UFFIZI, EM FLORENÇA.
Você já visitou um museu? Já observou uma escultura? Já imaginou o que era aquela escultura antes de ser uma obra de arte? Era um pedaço de madeira, um bloco de pedra... Mas ali dentro já existia aquela obra de arte esperando para ser revelada. Como já se ouviu dizer por aí, e como lembrou o meu amigo Thiago Casali em seu “blog”, a escultura já estava dentro da pedra, ou do pedaço de madeira, esperando que os excessos fossem retirados para que ela pudesse ser encontrada. Nós somos como essas esculturas, mas somos esculpidos ao longo da vida. Vem um amigo, tira um excesso daqui, e revela belezas que nós mesmos não sabíamos que existiam em nós, pois amigo verdadeiro nos ajuda a descobrir as nossas verdades. Vem também um inimigo, tira um excesso dali, e às vezes, revela belezas ainda maiores, pois como dizia São Josemaria Escrivá, os que nos perseguem nos santificam; mas isso, muita vezes, é perigoso, para nós e para eles. Pobres desses “santificadores”!

Mas já que esses inimigos passaram por nossas vidas e nos fizeram mal, ao menos serviram para que algo de bom, ou de muito bom, em nós, fosse revelado mais depressa. O maior problema, é que nesse processo todo, corremos o risco de ter arrancadas partes importantes para a finalização da obra. Isso tudo acontece porque vivemos a vida que o mundo nos propõe, muitas vezes seguindo o senso comum. Quando cansados de ser esculpidos por diversos “artistas”, nos entregamos ao nosso Criador, que sabe exatamente que escultura está escondida no “pedaço de madeira” ou no “bloco de pedra”, tudo muda! Só Ele sabe onde pode aparar as arestas sem quebrar um pedacinho que pode fazer muita falta depois. Só Ele conhece o material com o qual está trabalhando. Só Ele conhece a resistência de cada parte do “bloco de pedra” ou do “pedaço de madeira”. Ele conhece exatamente o material de cada um de nós e sabe perfeitamente como revelar as belezas escondidas em cada filho Seu. Ele pode, inclusive, reparar com Mãos de Mestre aqueles pedaços que os inimigos arrancaram de nós e que nos fazem tanta falta.
Abandonemo-nos às mãos do Senhor e Ele fará grandes coisas por nós e em nós! Só Ele pode revelar o melhor de nós! Só Ele é onipotente e onisciente, por isso pode e sabe trabalhar com qualquer material que lhe for entregue. Ele molda o “barro”, esculpe a “pedra” e a “madeira”, e faz tudo com absoluta precisão.
"A CRIAÇÃO DE ADÃO" - AFRESCO PINTADO POR MICHELANGELO, NO TETO DA CAPELA SISTINA, NO VATICANO, POR VOTA DE 1511.
Como escreveu Santo Agostinho, em Confissões, há alguma coisa do homem que nem o próprio espírito do homem, que nele está, conhece; mas o Senhor, que o fez, conhece todas as suas coisas.
E mesmo que os “escultores” desse mundo insistam em interferir na revelação da verdadeira beleza que existe em você, volte sempre para o Senhor, o Autor da Vida! Só Ele resgatará, a qualquer tempo, a verdadeira beleza que existe em você!
Meditando um pouco mais sobre as Confissões de Santo Agostinho, conscientizemo-nos de que uma coisa é ver, de cima de um monte frondoso, a Pátria da Paz, e não encontrar o caminho até ela, e esforçar-se, em vão, por lugares onde não há caminhos, onde os desertores fugitivos nos cercam e armam emboscadas contra nós; outra coisa é seguir o caminho que à Pátria da Paz conduz, protegido pelo cuidado do seu Celeste Governante, onde aqueles que abandonaram a milícia celeste não fazem assaltos, pois o evitam como a um suplício.
Inspirados ainda, nas Confissões de Santo Agostinho, peçamos a Deus, virtude de nossas almas, que entre nelas e molde-as a Ele, para que as tenha e possua sem manchas nem rugas e que se compadeça de nós segundo a Sua grande misericórdia, por causa do Seu nome, e que não abandone, de modo algum, a obra por Ele começada, concluindo assim, Ele mesmo, o que em nós está inacabado.
"A PENSADORA" - ESCULTURA INACABADA DE RODIN.
Cristo quer agir em você, mas você precisa Lhe dar livre acesso. Tente fazer uma experiência de entrega ao Senhor. Quer experimentar? Você pode começar esse processo, por exemplo, com uma Novena Eucarística. Procure um padre, faça uma boa confissão e livre-se dos pesos que impedem você de seguir adiante e de sentir a revelação das belezas que existem em você. Depois disso, disponha-se a participar da Santa Missa por nove dias consecutivos. A cada dia, peça a Jesus, na sequencia da ação de graças, logo após a Comunhão, que Ele tome posse de todo o seu ser. Permita que o Senhor aja em você e revele as belezas que estão escondidas no seu interior. Para que isso aconteça, tenha a coragem de dizer a Jesus, de coração aberto, que você está ali para fazer a vontade dEle e para viver no Seu amor, por toda a sua vida. Fazendo isso, que é sim, possível, verá que um dia estará fazendo o que antes via como impossível e proclamará que Deus fez e continua fazendo grandes coisas por você e em você.
Abra as portas do seu coração para o Senhor! Não O deixe do lado de fora da sua vida!
Que o Senhor, Nosso Deus, seja sempre o Grande Escultor da maravilhosa escultura viva que é você!

25 de nov de 2010

DIA MUNDIAL DE AÇÃO DE GRAÇAS.

A celebração de Ação de Graças é um encontro de gratidão, entre nossa humanidade faminta e sedenta e o nosso Deus, fonte e alimento divino que plenamente nos sacia e suscita em nossos corações o desejo de viver no amor e na generosidade.
Dar graças a Deus é, também, dispor-se a abraçar o apostolado no mundo e nas situações do nosso quotidiano, transformando-nos em sinais indicadores do caminho que leva a Deus.

MISSA DE AÇÃO DE GRAÇAS DA
COMUNIDADE SALESIANA DE PINDAMONHANGABA
COM A PARTICIPAÇÃO DE APROXIMADAMENTE 1000 FIÉIS

A virtude da gratidão está em toda a Bíblia. É próprio das almas nobres agradecer sempre e por todas as coisas. O salmista exclama: "Bom é render graças ao Senhor..." E outra vez: "Entrai por suas portas com ações de graças..." (Sl 92.1 e 100.4). Assim, o render graças a Deus , é tão antigo quanto a humanidade. Vem dos tempos bíblicos e reflete-se ao longo da história.
O costume do "Dia de Ação de Graças" vem dos Estados Unidos. Em 1620, saindo da Inglaterra, singra os mares o "Mayflower", levando a bordo muitas famílias. São peregrinos puritanos que, fugindo da perseguição religiosa, vão buscar a terra da liberdade. Chegando ao continente americano, fundam treze colônias, semente e raiz dos Estados Unidos da América do Norte.
O primeiro ano foi doloroso e difícil para aquelas famílias. O frio e as feras eram fatores adversos. Não desanimaram. Todos tinham fé em Deus e nas suas promessas.
Cortaram árvores, fizeram cabanas de madeira, e semearam o solo, confiantes. Os índios, conhecedores do lugar, ensinaram a melhorar a produção.
E Deus os abençoou. No outono de 1621, tiveram uma colheita tão abençoada quanto abundante. Emocionados e sinceramente agradecidos, reuniram os melhores frutos, e convidaram os índios, para juntos celebrarem uma grande festa de louvor e gratidão a Deus.
Nascia o "Thanksgiving Day", celebrado até hoje nos Estados Unidos, na quarta quinta-feira de novembro, data estabelecida pelo Presidente Franklin D. Roosevelt, em 1939, e aprovada pelo Congresso em 1941.
O embaixador brasileiro Joaquim Nabuco, participando, em Washington, da celebração do Dia Nacional de Ação de Graças, falou em tom profético: "Eu quisera que toda a humanidade se unisse, num mesmo dia, para um universal agradecimento a Deus". Estas palavras moveram consciências no Brasil.
No governo do Presidente Eurico Gaspar Dutra, o Congresso Nacional aprovou a Lei 781, que consagrava a última quinta-feira do mês de novembro como o Dia Nacional de Ação de Graças.
Porém, em 1966, o Marechal Humberto Castelo Branco modificou esta Lei, dizendo que não a última, mas a quarta quinta-feira do mês de novembro seria o Dia Nacional de Ação de Graças, para coincidir com esta celebração em outros países.
Sim, aquelas palavras de Joaquim Nabuco, grande estadista brasileiro, encontraram eco em muitos corações. Hoje, são muitas as comunidades que, como num grande coro universal de gratidão a Deus, celebram nacionalmente o Dia de Ação de Graças, na quarta quinta-feira de novembro.
Em tudo e por tudo devemos dar graças a Deus!

21 de nov de 2010

VER, "JULGAR" E AGIR.

Ver, Julgar e Agir é um método que consiste em exercitar o senso crítico, que é ter plena consciência dos nossos atos. Propõe-se, então, a ação fundamentada na reflexão auxiliada pela aplicação dos ensinamentos morais trazidos por JESUS CRISTO.
O método Ver, Julgar e Agir permite que as pessoas tenham uma visão mais acurada da realidade. Muitos grupos acabam formando quase que guetos, pois todos pensam do mesmo modo e sem contradições, o que pode ocasionar o comodismo. Muitos nem sabem o que se passa ao seu redor, nos seus bairros, nas suas escolas, nem qual é o sentimento daqueles que os acompanham diuturnamente. É preciso, pois, quebrar essas amarras do pensamento. Como? Aplicando esse método em tudo o que passar pelas nossas cabeças.
Há, na sociedade, muitos dispositivos para nos iludir. A propaganda na televisão, por exemplo, quer nos vender produtos de que não temos necessidade. Observe com que tintas e com que cores são pintadas as propagandas de cigarros e bebidas. Vende-se a idéia de que, saboreando aquela bebida ou aquele cigarro, seremos pessoas importantes, teremos o nosso automóvel, conquistaremos parceiros ou parceiras bonitas e tudo o mais. Aí está a falsa realidade que precisa ser repensada.
Olhemos tudo com muita atenção, procurando exercitar o juízo crítico, não de crítica. Posteriormente, lembremo-nos de colocar em prática o que foi refletido. Este é o método por excelência.
Adaptação de texto do livro O Senso Crítico e o Método Ver-Julgar-Agir, do Pe. Jorge Boran.

16 de nov de 2010

DO SENSO COMUM AO SENSO CRÍTICO!

O senso comum está cercado de opiniões não conclusivas, não fundamentadas e isso podemos observar facilmente em nosso cotidiano. Segundo o Dicionário Virtual Priberam, o senso comum é a “faculdade que a generalidade dos homens possui de raciocinar com acerto” e, o senso crítico, a “faculdade de apreciar e julgar com ponderação e inteligência”.
Por essas concepções, já podemos observar que existe relação entre eles. Enquanto no senso comum  raciocinamos com a possibilidade de acertar, no senso crítico somos mais analíticos, ponderados e utilizamos de raciocínio inteligente para chegar a uma conclusão. No senso comum não precisamos de experiências para chegar à conclusão de algo, mas sim, de suposições.
Essas suposições encontramos em crenças, tradições e estão fortemente presentes em nossas vidas. Um forte exemplo disso vem lá de nossa infância, quando nossos pais nos proibiam de comer manga e tomar leite. Segundo a lenda, a ingestão dos dois elementos causaria uma forte intoxicação e poderia provocar a morte.
E essa história nada mais é do que realmente uma história, pois sabe-se que foi inventada com o intuito de proibir os escravos de tomarem leite, já que este era muito valorizado comercialmente.
Como chegaram a essa conclusão? Através do senso crítico, da análise, pois foi preciso vivenciar o ato, pesquisar sobre o assunto, para finalmente concluir que a mistura dos dois ingredientes resulta numa excelente vitamina e não numa poção mortal. Esse é só um exemplo que podemos encontrar em nosso cotidiano.
Quem cria, por exemplo, a idéia de moda, beleza, conduta e etiqueta? Os meios de comunicação e as facções políticas são “fábricas” especializadas em manipular as pessoas para compartilhar das mesmas idéias e dos mesmos ideais.
Podemos ainda citar que no Brasil, no auge da ditadura, o ensino de Filosofia e Sociologia foram extirpados das grades curriculares justamente por formar pensadores. E naquele momento, não era isso que o país queria. Queriam pessoas que simplesmente aceitassem sua condição social e não a questionassem.
Adaptação de texto retirado do site Wikipedia
Passemos então, ao senso crítico, pois mentira, mesmo que repetida mil vezes, só se tornará “verdade” nas cabeças que as aceitarem como tal.

13 de nov de 2010

O SENSO COMUM.

Iniciarei uma reflexão sobre a postura das pessoas diante das mais diversas situações do cotidiano com um texto sobre o senso comum.
Em nossa conversa diária com as pessoas, surge uma série de opi­niões sobre os mais variados assuntos. Na maioria das vezes, essas opi­niões informais, que ouvimos ou emitimos em nossas conversas, refletem conhecimentos vagos, superficiais ou ingênuos a respeito dos inúmeros lemas que abordamos. Isto é, conhecimentos pouco profundos, adquiri­dos ocasionalmente no cotidiano, sem uma procura séria e reflexiva por parte das pessoas.
A título de ilustração, podemos dizer que faz parte do senso comum uma infinidade de "frases feitas", repetidas irrefletidamente, como as seguintes: homem que é homem não chora; o brasileiro é um povo pacífico; querer é poder; filho de peixe, peixinho é, etc.
Esse tipo de conhecimento mediano, compartilhado pela maioria das pessoas, constitui o senso comum. Pertence ao senso co­mum um vasto conjunto de concepções a respeito dos mais diferentes te­mas. Freqüentemente, essas concepções estão impregnadas de noções falsas, parciais ou preconceituosas. Entretanto, o senso comum não é formado, apenas, por concepções falsas ou incorretas mas, também, por concepções verdadeiras. O que as caracteriza, portanto, é o fato de serem produzidas por conhecimentos soltos, superficiais, que não nasceram de reflexões profundas e abertas.
O conhecimento do senso comum possui, habitualmente, as seguin­tes características gerais:
· imprecisão: conceitos vagos, sem rigor, que não definem claramente seu conteúdo e seu alcance;
· incoerência: associação, num mesmo raciocínio, de conceitos con­traditórios, que se anulam em termos lógicos;
· fragmentação: conceitos soltos, que não abrangem, de modo am­plo e sistemático, o objeto estudado.
Senso comum, ou conhecimento vulgar, é a primeira suposta compreensão do mundo resultante da herança fecunda de um grupo social e das experiências atuais que continuam sendo efetuadas. O senso comum descreve as crenças e proposições que aparecem como normais, sem depender de uma investigação detalhada para alcançar verdades mais profundas.
Quando alguém reclama de dores no fígado, esta pessoa pode fazer um chá de boldo que já era usado pelos avós de nossos avós, sem no entanto conhecer o princípio ativo das folhas e seu efeito nas doenças hepáticas. Ao mesmo tempo, quando atravessamos uma rua nós estimamos, sem usar uma calculadora, a distância e a velocidade dos carros que vem em nossa direção. Estes exemplos indicam um tipo de conhecimento que se acumula no nosso cotidiano e é chamado de senso comum e se baseia na tentativa e erro. O senso comum, que nos permite sentir uma realidade menos detalhada, menos profunda e imediata, vai do hábito de realizar um comportamento até a tradição que, quando instalada, passa de geração para geração.
No senso comum não há análise profunda e sim uma espontaneidade de ações relativa aos limites do conhecimento do indivíduo que vão passando por gerações. O senso comum é o que as pessoas comuns usam no seu cotidiano, o que é natural e fácil de entender, o que elas pensam que sejam verdades e que lhes tragam resultados práticos herdados pelos costumes.
Adaptação de textos dos sites: Rescogitans e Wikipedia

30 de out de 2010

A MISSÃO CONTINUA!!!

Para finalizar este Mês Missionário, relato a inesquecível e rica experiência que tive há poucos dias.
O dia 17 de outubro foi o Dia da Missão de Evangelização na Paróquia Nossa Senhora do Bom Sucesso, em Pindamonhangaba. Todos nós, mais de 100 representantes de pastorais e movimentos, nos reunimos para levar a Palavra de Deus às famílias das comunidades urbanas e rurais da paróquia.
Como missionário leigo, fui com mais 19 pessoas a uma das comunidades rurais. Saímos em duplas para a missão, como manda o Evangelho de Jesus.
“Designou o Senhor ainda setenta e dois outros discípulos e mandou-os, dois a dois, adiante de si, por todas as cidades e lugares para onde ele tinha de ir. Disse-lhes: Grande é a messe, mas poucos são os operários. Rogai ao Senhor da messe que mande operários para a sua messe.” (Lc 10, 1-2)
Eu e a Rose, que formou dupla comigo, visitamos 10 famílias. Ela é moradora da comunidade e conhece, pelo menos de vista, a maioria dos moradores, o que facilitou bastante o primeiro contato com as famílias. Mesmo assim, 4 famílias não nos receberam. Um senhor nos disse que estava indo tratar dos animais, outro foi ver se alguém poderia nos atender e não voltou para dar a resposta, outras pessoas estavam de saída... Mas as 10 famílias que nos receberam foram muito acolhedoras. Trocarei os nomes para preservar a privacidade das pessoas, mas as histórias são totalmente verdadeiras. Dona Joana foi a primeira pessoa que visitamos. Ela é uma senhora viúva, com 75 anos de idade, bem-humorada e de bem com a vida! Apesar de morar em uma casa muito simples, bem pequena e sem forro, quando a Rose lhe perguntou se tinha alguma necessidade ela respondeu que estava muito bem, que o marido a havia deixado com o suficiente para viver bem e que ela até havia feito recentemente uma viagem de caminhão a Minas Gerais, a passeio, a um custo de R$300,00. Realmente muito simpática, a Dona Joana! Mas nem todas as visitas foram tão alegres assim. Fomos à casa do Sr. Carlos, que foi atropelado por um motoqueiro. Ele bateu a cabeça, quebrou o fêmur e está na cama há 3 meses. A sua esposa ficou emocionada no início das orações e quase chorou. A sua vida tem sido bastante difícil diante da situação do seu marido. Mas, aos poucos, ele está se recuperando, na Graça de Deus. Como em todas as casas onde havia pessoas passando por algum problema sério, a Rose leu Palavras de conforto e confiança, cuidadosamente escolhidas, da Sagrada Escritura. Fomos também à casa do Sr. Antonio, que não vê o irmão há 5 meses. O seu irmão viajou a passeio a Minas Gerais e não deu mais sinal de vida. Outro problema desta família é o alcoolismo dos filhos. A mãe, Dona Maria, disse que não sabe mais o que fazer. Disse que reza muito pela solução desse problema, mas que já está desanimando, pois os filhos não aceitam ajuda para sair dessa situação. Dissemos a ela que é preciso perseverar na oração e não desanimar jamais. Citei o exemplo de Sta. Mônica, que rezou durante 33 anos pela conversão de seu filho, Sto. Agostinho. E que resposta maravilhosa Deus mandou às orações de Sta. Mônica! Esta família foi realmente muito acolhedora. O Sr. Antonio nos convidou para ficar mais tempo, mas agradecemos e seguimos para outra visita. Fomos recebeidos também pelo Sr. Fernando, que se mudou para o bairro com a família há pouco mais de 1 mês. Quando fui aspergir os quartos da casa com a Água Benta, ele me acompanhou e aproveitou para desabafar toda a angústia que tem guardado dentro de si. Ele me contou que morava com sua família em um bairro da área urbana da cidade, quando alguns bandidos invadiram sua casa e tentaram praticar um assalto, mas foram impedidos por ele. Diante disso, juraram vingança e ameaçaram fazer algum mal à sua filha de 5 anos. Ele então não teve opção, senão se mudar com a família para um local bem distante. Por conta do problema, entrou em uma crise emocional que o está levando a um quadro de depressão. Como, durante a conversa, ele já havia dito que costumava praticar esportes antes do ocorrido, incentivei-o a retomar essa prática, ressaltando que a atividade física ajuda a pessoa a recuperar a sensação de bem-estar. Eu e a Rose também insistimos para que ele participasse com a família das Missas e das atividades da comunidade. Tenho certeza de que a Paz do Senhor ficou com aquela família e também com todas as outras que nos receberam de forma tão acolhedora, pois como disse Jesus, “em qualquer casa em que entrardes, dizei primeiro: ‘A paz esteja nesta casa!’ Se ali morar um amigo da paz, a vossa paz repousará sobre ele; senão, ela retornará a vós.” (Lc 10, 5-6)
E que água fresquinha bebemos na casa do Sr. Fernando! É, o calor estava forte! A Missão naquele domingo foi cansativa para o corpo, mas o descanso do espírito foi infinitamente maior! Foi um domingo abençoado!
Dom Bosco dizia que “é Deus quem quer agir. E nós devemos suplicar-lhe que tenha a bondade de servir-se de nós para seus projetos”. E Deus teve sim, a bondade de servir-se de todos nós que participamos dessa missão para, através de nós, Ele mesmo anunciar a Sua Palavra e derramar as Suas Bênçãos sobre os nossos irmãos, que como todos nós, também buscam a Paz do Senhor!
“Esta é a ordem que o Senhor nos deu: ‘Eu te constituí como luz das nações, para levares a salvação até os confins da terra’.” (At 13,47)
E a missão continua!!!

28 de out de 2010

28 DE OUTUBRO - DIA DE SÃO JUDAS TADEU.

PARÓQUIA DE SÃO JUDAS TADEU NO JABAQUARA, EM SÃO PAULO.
Judas, um dos doze apóatolos de Jesus, era chamado também Tadeu ou Lebeu, que São Jerônimo interpreta como homem de senso prudente. Judas Tadeu foi quem, na Última Ceia, perguntou ao Senhor: "Senhor, como é possível que tenhas de te manifestar a nós e não ao mundo?" (Jo 14,22). Temos uma epístola de Judas "irmão de Tiago", que foi classificada como uma das epístolas católicas. Parece ter em vista convertidos, e combate seitas corrompidas na doutrina e nos costumes. Começa com estas palavras: "Judas, servo de Jesus Cristo, e irmão de Tiago, aos chamados e amados por Deus Pai, e conservados para Jesus Cristo: misericórdia, paz e amor vos sejam concedidos abundantemente". Orígenes achava esta epístola "cheia de força e de graça do céu".
Segundo São Jerônimo, Judas terá pregado em Osroene (região de Edessa), sendo rei Abgar. Terá evangelizado a Mesopotâmia, segundo Nicéforo Calisto. São Paulino de Nola tinha-o como apóstolo da Líbia.
Conta-se que Nosso Senhor, em revelações particulares, teria declarado que atenderá os pedidos daqueles que, nas suas maiores aflições, recorrerem a São Judas Tadeu.
Santa Brígida refere que Jesus lhe disse que recorresse a este apóstolo, pois ele lhe valeria nas suas necessidades. Tantos e tão extraordinários são os favores que São Judas Tadeu concede aos seus devotos, que se tornou conhecido em todo o mundo com o título de Patrono dos aflitos e Padroeiro das causas desesperadas.
São Judas é representado segurando um machado, uma clava, uma espada ou uma alabarda, por sua morte ter ocorrido por uma dessas armas.
REZE COM SÃO JUDAS TADEU:

25 de out de 2010

25 DE OUTUBRO - DIA DE SANTO ANTONIO DE SANTANA GALVÃO.

Os Dons de Frei Galvão
Por causa do imenso amor e caridade de seu Servo, Deus o agraciou com diversos dons, dos quais jamais serviu-se em interesse próprio,ao contrário, sempre os colocou a serviço da misericórdia divina. Todos os casos narrados foram devidamente comprovados por documentos.
São eles:
Bilocação (estar em mais de um lugar ao mesmo tempo), telepatia (transmissão ou comunicação de pensamento e sensações, a distância entre duas ou mais pessoas), premonição (sensação ou advertência antecipada do que vai acontecer), clarividência (vê o que está para acontecer), levitação (erguer-se acima do solo) e telepercepção (adquirir conhecimento de fatos ocorridos a grandes distâncias).
Relatamos a seguir alguns casos. Àqueles que se interessarem por mais detalhes da vida de nosso querido “padre santo” devem procurar na Editora Santuário o livro “Frei Galvão: O frade menor que São Paulo aprisionou”, de autoria de Frei Carmelo Surian:
Bilocação:
Pelo que consta, o fato ocorreu por volta de 1810, às margens do rio Tietê, no distrito de Potunduva (Airosa Galvao) municipio de Jaú, próximo à Pederneiras e Bauru. Manuel Portes, capataz de uma expedição de vinha de Cuiabá, homem de temperamento instável, castigou severamente o caboclo Apolinário por indisciplina. Ao notar o capataz distraído, o caboclo, por vingança, o atacou pelas costas com um enorme facão, e fugiu.
Sentindo que a vida abandonava-lhe o corpo, Manuel Portes, no auge de desespero pôs-se a gritar: “Meu Deus, eu morro sem confissão! Senhor Santo Antônio, pedi por mim! Dai-me confessor! Vinde, Frei Galvão, assistir-me! Eis que então alguém gritou, avisando que um frade se aproximava, e todos identificaram Frei Galvão. Assim contaram as testemunhas: “aproximou-se o querido sacerdote, afastou com um gesto dos espectadores da trágica cena, abaixou-se, sentou-se, pôs a cabeça de Portes sobre o colo e falou-lhe em voz baixa, encostando-lhe depois o ouvido aos lábios. Ficou assim alguns instantes, findo os quais abençoou o expirante. Levantou-se, então, fez um gesto de adeus e afastou-se de modo tão misterioso quanto aparecera”. Afirma-se que naquele instante Frei Galvão encontrava-se em São Paulo, pregando. Interrompeu-se, pediu uma Ave-Maria por um morimbundo e, acabada a oração, prosseguiu a pregação.
Há outros casos semelhantes, principalmente relatos de socorro de Frei Galvão aos moribundos.
Telepatia:
Em uma cidade Frei Galvão era conduzido em uma cadeirinha coberta. Uma senhora, através de sua janela de rótulas (madeiras cruzadas), vê a cadeirinha, em que sabe, está o “santo frade”. E ela, sucumbida pelas amarguras da vida, soluçando, pensa consigo: “Ah, se Frei Galvão se lembrasse de mim, se ao menos me desse sua benção”. No mesmo instante Frei Galvão levanta as cortinas da cadeirinha, debruça-se para fora, em direção daquela janela, e sorridente, abençoa a senhora, atrás das rótulas. E os que presenciaram o fato, afirmaram que o franciscano não tinha a menor possibilidade de ver aquela senhora, porque era conduzido pelo lado oposto da rua.
Premonição:
Em todas as vilas e cidades por onde passava, a pedido dos párocos, Frei Galvão pregava. Por vezes era tão numeroso o auditório que, não o contendo dentro da igreja, era preciso pregar ao ar livre. Em Guaratinguetá ocorreu um fato extraordinário: o sermão havia começado, quando se forma uma grande tempestade; a chuva desaba, e quando viram que ela chegava ao largo, onde se encontravam, quiseram se retirar. Frei Galvão, porém, lhes diz que fiquem pois nada sofrerão. De fato, a chuva não caiu sobre o Largo.
Outra narração impressionante:
O seguinte testemunho foi do Dr. Afonso d’Escragnole Taunay: “Um cavaleiro que passava alta madrugada por São Paulo viu Frei Galvão sentado à soleira de entrada de uma casa. Ofereceu-lhe o cavalo, propondo-se a acompanha-lo até o Recolhimento, fazendo-se ver que ele se arriscava a adoecer, imobilizado, como estava, sob tão áspera temperatura e sob garoa. Frei Galvão agradeceu a oferta, porém não aceitou, argumentando que precisava demorar-se onde estava, tendo para tanto motivos fortes. O cavaleiro não insistiu e seguiu viagem. Dela voltando, soube do fato que impressionara muito a cidade, e fê-lo estremecer: na manhã seguinte ao encontro com Frei foi achado morto em sua própria casa, um homem rico que vivia solitário, avarento e agiota. Era exatamente o morador do prédio em cuja soleira estava “Frei Galvão”.
Clarividência:
Uma menina foi levada à presença de Frei Galvão. No decorrer da conversa, perguntou à ela sobre o que desejava ser. Respondeu que queria ser freira. Frei Antonio a abençoou com carinho e profeticamente lhe confirma a vocação. De fato, aos 19 anos ela ingressa em um Convento.
Levitação:
No Mosteiro da Luz há viários testemunhos sobre a capacidade de Frei Galvão tinha de levitar. Dentre eles, há o relato de uma senhora nos seguintes têrmos: caminhando em plena rua, pôde observar o Frade que se aproximava todo recolhido. Ao se cruzarem, ela exclamou, espantada: “Senhor Padre, vossemecê anda sem pisar no chão?” E o Frei sorriu, saudou e seguiu diante.
Telepercepção:
Antigamente, quando os sinos badalavam fora de horário de reza, a comunidade se reunia pois sabia que algo de extraordinário acontecera. Certo dia, os sinos do Mosteiro tocaram e a população atendeu a convocação. Frei Galvão, então já bem idoso, anunciou: “Rebentou em Portugal uma revolução” (talvez a de 1820). E relatou detalhes como se estivesse assistindo a tudo pessoalmente. Semanas depois, chegaram notícias confirmando as visões de Frei Galvão.

22 de out de 2010

CAMPANHA MISSIONÁRIA.

A Campanha Missionária é celebrada no mês de outubro, conhecido como mês missionário. No Dia Mundial das Missões, celebrado no penúltimo domingo, é feita a Coleta Missionária, em todas as paróquias, comunidades e capelanias espalhadas pelo mundo. Neste dia, todo católico é motivado a dar sua oferta material para as Missões, já que a responsabilidade por elas é de todos os batizados, conforme afirma Paulo: "anunciar o Evangelho não é para mim título de glória, é obrigação que me foi imposta. Ai de mim, se eu não evangelizar" (1Cor 9, 16). A esta oferta está associada a formação e vivência missionárias, por meio de orações e sacrifícios oferecidos pelas Missões, como também com a entrega pessoal como missionário, por determinado período ou Ad Vitam (por toda a vida).
As necessidades da Igreja Católica em todo o mundo não param de crescer: constituição de novas dioceses; abertura de novos seminários, devido ao crescimento do número de jovens que acolhem o chamado de Cristo a segui-Lo como sacerdotes; regiões destruídas por guerras ou fenômenos naturais e que devem ser reconstruídas; lugares por longo tempo fechados à evangelização, e que agora se abrem para ouvir a mensagem de Cristo e de Sua Igreja... É por isto que a cooperação dos católicos de todo o mundo é tão urgente e necessária.
Cerca de 1.100 dioceses de territórios de Missão - todo o continente africano e asiático, bem como a Oceania, parte da América Latina e alguns países da Europa Oriental - recebem regularmente ajuda financeira anual proveniente das doações dos fiéis. Estas dioceses apresentam à Congregação para a Evangelização dos Povos - Santa Sé - pedidos de ajuda, entre outras necessidades, para catequese, evangelização, seminários, trabalhos das comunidades religiosas, meios de comunicação e transporte, construção de capelas, igrejas, creches, orfanatos, escolas, asilos, ambulatórios médicos etc. Estas necessidades são providas com as doações arrecadadas todo ano.
Elmo Heck - Arquidiocese de Curitiba
Fonte: Revista Missões
Colabore você também!

16 de out de 2010

16 DE OUTUBRO DE 1978 - HÁ 32 ANOS TEVE INÍCIO O PONTIFICADO DE JOÃO PAULO ll.

16 DE OUTUBRO DE 1988 - 10º ANIVERSÁRIO DO PONTIFICADO DE JOÃO PAULO II

O Papa João Paulo II, nascido Karol Józef Wojtyła, em Wadowice, na Polónia, em 18 de Maio de 1920, foi o Sumo Pontífice da Igreja Católica Apostólica Romana de 16 de Outubro de 1978 até a data da sua morte, em 2 de abril de 2005. Sucedeu ao Papa João Paulo I, tornando-se o primeiro papa não italiano em 455 anos (desde o holandês Adriano VI, no século XVI) e o primeiro papa de origem polaca. Teve o terceiro papado mais longo da história do catolicismo, com 26 anos de pontificado. Foi o primeiro papa do terceiro milénio.
Após a morte do Papa Paulo VI, que aconteceu no dia 6 de Agosto de 1978, esteve presente no conclave de 26 de Agosto de 1978, que escolheria Albino Luciani para um dos pontificados mais curtos da história. Trinta e três dias depois de votar no conclave, no dia 28 de Setembro de 1978, o então cardeal de Cracóvia Karol Wojtyła ficou sabendo da triste morte de João Paulo I pelo aviso de seu motorista particular. De volta a Roma, ele foi escolhido Papa em 16 de Outubro de 1978.
Adotou o nome de João Paulo II em homenagem ao seu antecessor e rapidamente se colocou do lado da paz e da concórdia internacionais, com intervenções frequentes em defesa dos direitos humanos e das nações.
Foi o Papa mais novo desde Pio IX,  pois foi eleito com 58 anos de idade. No entanto, tornou-se o Papa cuja ação foi mais decisiva no século XX. As suas viagens ultrapassaram em número e extensão as de todos os antecessores juntos, reunindo sempre multidões. Para muitos, tinha o carisma do Papa João XXIII. Participou de eventos ecumênicos (foi o primeiro a pregar em uma igreja luterana e em uma mesquita e o primeiro a visitar o Muro das Lamentações, em Jerusalém), procedeu a numerosas beatificações e canonizações e escreveu 14 encíclicas.
O NOSSO QUERIDO PAPA JOÃO PAULO II EM CARRO ABERTO, NA PRAÇA DE SÃO PEDRO, EM ROMA, DIAS ANTES DE COMPLETAR O 10º ANIVERSÁRIO DE SEU PONTIFICADO.

7 de out de 2010

7 DE OUTUBRO - DIA DE NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO DE FÁTIMA.

A ORIGEM DO ROSÁRIO
O Rosário nasceu do amor dos cristãos por Maria na época medieval, talvez no tempo das cruzadas à Terra Santa. O objeto da recitação desta oração, o terço, é de origem muito antiga. Os anacoretas orientais usavam pedrinhas para contar o número das orações vocais. Nos conventos medievais os irmãos leigos, dispensados da recitação do Saltério pela pouca familiaridade com o latim, completavam as suas práticas de piedade com a recitação dos Pai-Nossos. Para a contagem, são Beda, o Venerável, havia sugerido a adoção de vários grãos enfiados num barbante. Narram alguns dos biógrafos de são Domingos que a própria Nossa Senhora, aparecendo a ele, indicou-lhe a recitação do Rosário como arma eficaz para debelar os hereges albigenses, da região de Toulouse, na França. Muitas conversões se operaram, e em torno dele foi se juntando um grupo de jovens para receber sua direção e imitar seu exemplo. Esse foi o núcleo inicial do que seria depois a Ordem dos Predicadores ou Dominicanos.
Nasceu assim a devoção do Rosário, que tem o significado de uma grinalda de rosas oferecidas a Nossa Senhora. Os promotores desta devoção foram os dominicanos, que também criaram as confrarias do Rosário. Foi o papa dominicano, são Pio V, o primeiro a encorajar e a recomendar oficialmente a recitação do Rosário, que em breve se tornou a oração popular por excelência, uma espécie de breviário do povo, para ser recitado à noite, em família.
Aquelas Ave-Marias recitadas em família estão animadas de autêntico espírito de oração: "Enquanto se prossegue na doce e monótona cadência das Ave-Marias, o pai ou a mãe de família pensam nas preocupações familiares, no menino que atendem, ou nos problemas provocados pelos filhos mais velhos. Este emaranhado de aspectos da vida familiar sofre então a iluminação dos mistérios salvíficos de Cristo, e é espontâneo confiar tudo à Mãe do milagre de Caná e de toda Redenção" (Schillebeeckx).
A celebração da festividade foi instituída por são Pio V para comemorar a vitória de 1571, em Lepanto, contra a frota turca (inicialmente dizia-se: Santa Maria da Vitória). A festividade do dia 7 de outubro, que naquele ano caía no domingo, foi estendida, em 1716, à Igreja universal e fixada definitivamente por são Pio X em 1913. A festa do Santíssimo Rosário, como era chamada antes da reforma do calendário de 1960, resume, em certo sentido, todas as festas de Nossa Senhora.

4 de out de 2010

4 DE OUTUBRO - DIA DE SÃO FRANCISCO DE ASSIS.

CRUCIFIXO ATRAVÉS DO QUAL JESUS FALOU A SÃO FRANCISCO
“Francisco, se quiseres fazer a minha vontade, deves renunciar totalmente a ti mesmo; e doravante deves detestar o que até agora tens amado. Por isso só te será cara a humilhação, a abnegação, a pobreza; ao contrário: acharás amargo e insuportável aquilo que outrora te parecia agradável; e o que te incutia medo e estremecimento, te dará grande força e inefável alegria.”
Era a voz de Jesus que se fazia ouvir na solidão da velha igrejinha de São Damião e o convidava a subir a áspera montanha da perfeição.
O jovem quis a todo custo obedecer ao convite de Jesus e, com força suprema, se agarrou à pessoa Dele, subindo de degrau em degrau a escada da perfeição.
E eis ainda a voz do Crucifixo:
“Francisco, vá, repara a minha casa que se está arruinando.”

SÃO FRANCISCO SEGUIU À RISCA A RADICALIDADE DO EVANGELHO DE JESUS CRISTO.
São Francisco de Assis (1182-1226), viveu apenas 44 anos e, no entanto, deixou em nossos corações uma marca indelével.
Para muitos, Francisco é apenas o santo da ecologia. Autor do hino ao "irmão Sol" e à "irmã Lua" (no video abaixo), conversava com pássaros e lobos, vivia numa cabana silvestre nas cercanias de Assis e nos deixou a expressiva oração que leva o seu nome. Foi dele a idéia de comemorar o Natal em torno do presépio.
Poucos sabem, porém, que Francisco foi o primeiro a questionar, no século 13, o capitalismo nascente, cujo embrião deita raízes no advento dos burgos e das manufaturas que, pela primeira vez, introduziram a produção em série.
Seu pai, o rico Bernardone, proprietário de indústria têxtil, importava da França tinturas para tecidos. Em homenagem à nação que lhe suscitava inveja, deu ao filho o nome de Francesco, "aquele que vem da França ou dos francos". Por um lado, a manufatura de Bernardone barateava o tecido; por outro, provocava o desemprego de milhares de artesãos, engendrando pobreza social.
Ferido após uma batalha, o jovem cavaleiro descobriu a radicalidade do Evangelho de Jesus e decidiu segui-lo à risca. Seu gesto de ruptura com a ordem burguesa, aos 24 anos, ressoou como sinal de contradição: Francisco ficou nu na praça de Assis.
Tal atitude não significou apenas despojamento ante a riqueza da família e da Igreja. Representou também uma ruptura com o pai, pioneiro do capitalismo. Francisco recusava-se a embelezar seu corpo com tecidos que deixavam nus os antigos artesãos da Perúgia, falidos diante do progresso da manufatura. Tornou-se pobre com os pobres, e sua opção evangélica encontrou resposta no coração enamorado de Clara.
Tamanha foi a repercussão do gesto de Francisco que, em vida, atraiu mais de 30 mil seguidores. À sua aproximação, muitas cidades italianas trancavam as portas de suas muralhas, temendo que ele arrastasse os jovens para a sua aventura evangélica. Diante de uma Igreja cujos papas competiam em ostentação com os reis, ele preferiu o caminho de Nazaré. Jamais foi padre e, sob pressão, concedeu apenas em receber o diaconato.
A primeira carta de São João, no Novo Testamento, é incisiva: "Se alguém possui os bens deste mundo e, vendo o seu irmão em necessidade, fecha-lhe o coração, como pode o amor de Deus permanecer nele? Não amemos com palavras nem com a língua, mas com obras e de verdade" (3,17-18).
Fonte: Catolicanet

Doce é Sentir (Irmão Sol, Irmã Lua) - Com Ziza Fernandes.

1 de out de 2010

SAGRADA ESCRITURA O CAMINHO DA VIDA! A VOCAÇÃO DE SANTA TEREZINHA.

Ainda que eu falasse línguas, as dos homens e dos anjos, se eu não tivesse o amor, seria como sino ruidoso ou como címbalo estridente. Ainda que eu tivesse o dom da profecia, o conhecimento de todos os mistérios e de toda a ciência; ainda que eu tivesse toda a fé, a ponto de transportar montanhas, se não tivesse o amor, eu não seria nada.
Ainda que eu distribuísse todos os meus bens aos famintos, ainda que entregasse o meu corpo às chamas, se não tivesse o amor, nada disso me adiantaria.
O amor é paciente, o amor é prestativo; não é invejoso não se ostenta, não se incha de orgulho. Nada faz de inconveniente, não procura seu próprio interesse, não se irrita, não guarda rancor. Não se alegra com a injustiça, mas se regozija com a verdade. Tudo desculpa, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O amor jamais passará. As profecias desaparecerão, as línguas cessarão, a ciência também desaparecerá. Pois o nosso conhecimento é limitado; limitada é também a nossa profecia. Mas, quando vier a perfeição, desaparecerá o que é limitado. (...)
Agora, portanto, permanecem estas três coisas: a fé, a esperança e o amor. A maior delas, porém, é o amor. (1Cor 13, 1-10, 13)

1º DE OUTUBRO - DIA DE SANTA TEREZINHA DO MENINO JESUS, PADROEIRA DAS MISSÕES.

Lendo o capítulo treze da primeira carta de São Paulo aos coríntios, Tereza de Lisieux descobriu o seu lugar na Igreja e a sua vocação missionária. “Ao refletir sobre o corpo místico da Igreja, eu não me tinha reconhecido em qualquer um dos membros descritos por São Paulo, melhor, desejava ver-me em todos eles. A caridade deu-me a chave para a minha vocação. Compreendi que se a Igreja tem um corpo formado por muitos membros, o mais necessário e o mais nobre de todos não lhe faltava e, então, compreendi que a Igreja tem um coração e que este coração ARDE DE AMOR. Entendi que só o Amor faz os membros da Igreja agirem e, que se o Amor viesse a faltar, os apóstolos não anunciariam o Evangelho e os mártires não derramariam o seu sangue. Compreendi que o AMOR ENCERRA TODAS AS VOCAÇÕES, QUE O AMOR É TUDO, QUE ELE INCLUI TODOS OS TEMPOS E LUGARES... NUMA PALAVRA, QUE É ETERNO! Então, no excesso de minha alegria delirante, gritei: ó Jesus, meu Amor... minha vocação, finalmente a encontrei... A MINHA VOCAÇÃO É O AMOR!”

28 de set de 2010

ROSÁRIO DOS ANJOS.

29 DE SETEMBRO - DIAS DOS SANTOS ARCANJOS MIGUEL, GABRIEL E RAFAEL

CONHECI O ROSÁRIO DOS ANJOS NO 1º RETIRO QUE FIZ NA OBRA DOS SANTOS ANJOS, EM GUARATINGUETÁ. NÃO TEM NADA A VER COM ESOTERISMO E TEM APROVAÇÃO ECLESIÁSTICA.

ROSÁRIO DOS ANJOS
Reza-se o Creio com o seguinte acréscimo:
Ó Deus, creio firme e inabalavelmente na existência, na força e no auxílio dos Vossos servos, os Santos Anjos.
NAS CONTAS MAIORES:
Deus Onipotente e Eterno, concedei-nos o auxílio dos Vossos exércitos celestes para que, por eles, permaneçamos preservados dos ataques do inimigo e pelo Preciosíssimo Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo e a intercessão da Santíssima Virgem Maria, possamos servir-vos em paz.
AS 5 DEZENAS:
1-Santo Anjo da Guarda, vinde depressa, socorrei-nos, em nome da Santíssima Trindade, do Preciosíssimo Sangue de Nosso Senhor e da Imaculada Conceição.
2-São Miguel Arcanjo, vinde depressa, socorrei-nos, ...
3-São Gabriel Arcanjo, vinde depressa, socorrei-nos, ...
4-São Rafael Arcanjo, vinde depressa, socorrei-nos, ...
5-Santos Anjos e todos os exércitos celestes, vinde depressa, socorrei-nos, ...
No final de cada dezena reza-se três vezes:
Deus Santo, Deus Forte, Deus Imortal, tende piedade de nós!
À RAINHA DOS ANJOS
Ó Maria, Rainha dos Anjos, sede vós a minha mãe em cada circunstância da minha vida, o meu Perpétuo Socorro, a Consoladora na escuridão, a luz no meu desamparo, a Mãe de todos!
O vosso manto chama-se obediência, a vossa veste chama-se pureza, a vossa coroa chama-se humildade.
Ensinai-me também tudo isto, para que permaneça valente em todas as provações, para que me porte, digno de aprovação, como irmão do meu Anjo e como filho vosso.
Conduzi-me, junto com o meu Anjo, pelo caminho íngreme que Deus me indica.
Não me deixeis tropeçar, nem desanimar, até que tenha alcançado a meta que Deus me propôs. Amém.
Associação dos Irmãos de Belém
Com aprovação eclesiástica

29 DE SETEMBRO - DIA DOS SANTOS ARCANJOS MIGUEL, GABRIEL E RAFAEL.

Com alegria, comemoramos a festa dos três Santos Arcanjos Miguel, Gabriel e Rafael no dia 29 de setembro. A Igreja Católica, guiada pelo Espírito Santo, herdou do Antigo Testamento a devoção a estes amigos, protetores e intercessores que do Céu vêm em nosso socorro pois, como São Paulo, vivemos num constante bom combate. A palavra "Arcanjo" significa "Anjo principal". E a palavra "Anjo", por sua vez, significa "mensageiro".

SÃO MIGUEL
O nome do Arcanjo Miguel possui um revelador significado em hebraico: "Quem como Deus". Segundo a Bíblia, ele é um dos sete espíritos assistentes ao Trono do Altíssimo e, portanto, um dos grandes príncipes do Céu e ministro de Deus. No Antigo Testamento o profeta Daniel chama São Miguel de príncipe protetor dos judeus, enquanto que, no Novo Testamento, ele é o protetor dos filhos de Deus e de sua Igreja, já que até a segunda vinda do Senhor estaremos em luta espiritual contra os vencidos, que querem nos fazer perdedores também. "Houve então uma batalha no Céu: Miguel e seus anjos guerrearam contra o Dragão. O Dragão lutou, juntamente com os seus anjos, mas foi derrotado; e eles perderam seu lugar no Céu" (Apocalipse 12,7-8).
SÃO GABRIEL
O nome deste Arcanjo, citado duas vezes nas profecias de Daniel, significa "Força de Deus" ou "Deus é a minha proteção". É muito conhecido devido à sua singular missão de mensageiro, uma vez que foi ele quem anunciou o nascimento de João Batista e, principalmente, anunciou a Encarnação do Verbo de Deus: "No sexto mês, o anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galiléia, chamada Nazaré... O anjo veio à presença de Maria e disse-lhe: 'Alegra-te, ó tu que tens o favor de Deus'..." a partir daí, São Lucas narra no primeiro capítulo do seu Evangelho como se deu a Encarnação.
SÃO RAFAEL
Um dos sete espíritos que assistem ao Trono de Deus. Rafael aparece no Antigo Testamento no livro de Tobit. Este arcanjo de nome "Deus curou" ou "Medicina de Deus", restituiu à vista do piedoso Tobit e nos demonstra que a sua presença, bem como a de Miguel e Gabriel, é discreta, porém, amiga e importante. "Tobias foi à procura de alguém que o pudesse acompanhar e conhecesse bem o caminho. Ao sair, encontrou o anjo Rafael, em pé diante dele, mas não suspeitou que fosse um anjo de Deus" (Tob 5,4).
São Miguel, São Gabriel e São Rafael, rogai por nós!
Adaptação de texto do site http://www.cancaonova.org/

24 de set de 2010

VOTAR BEM!!!


Os Bispos Católicos do Regional Sul 1, da CNBB (Estado de São Paulo), no cumprimento de sua missão pastoral, oferecem as seguintes orientações aos seus fiéis para a participação consciente e responsável no processo político-eleitoral deste ano:
O poder político emana do povo. Votar é um exercício importante de cidadania, por isso, não deixe de participar das eleições e de exercer bem este poder. Lembre-se que seu voto contribui para definir a vida política do País e do nosso Estado.
O exercício do poder é um serviço ao povo. Verifique se os candidatos estão comprometidos com as grandes questões que requerem ações decididas dos governantes e legisladores: a superação da pobreza, a promoção de uma economia voltada para a criação de postos de trabalho e melhor distribuição da renda, educação de qualidade para todos, saúde, moradia, saneamento básico, respeito à vida e defesa do meio ambiente.
Governar é promover o bem comum. Veja se os candidatos e seus partidos estão comprometidos com a justiça e a solidariedade social, a segurança pública, a superação da violência, a justiça no campo, a dignidade da pessoa, os direitos humanos, a cultura da paz e o respeito pleno pela vida humana desde a concepção até à morte natural. São valores fundamentais irrenunciáveis para o convívio social. Isso também supõe o reconhecimento à legítima posse de bens e à dimensão social da propriedade.
O bom governante governa para todos. Observe se os candidatos representam apenas o interesse de um grupo específico ou se pretendem promover políticas que beneficiem a sociedade como um todo, levando em conta, especialmente, as camadas sociais mais frágeis e necessitadas da atenção do Poder público.
O homem público deve ter idoneidade moral. Dê seu voto apenas a candidatos com “ficha limpa”, dignos de confiança, capazes de governar com prudência e equidade e de fazer leis boas e justas para o convívio social.
Voto não é mercadoria. Fique atento à prática da corrupção eleitoral, ao abuso do poder econômico, à compra de votos e ao uso indevido da máquina administrativa na campanha eleitoral. Fatos como esses devem ser denunciados imediatamente, com testemunhas, às autoridades competentes. Questione também se os candidatos estão dispostos a administrar ou legislar de forma transparente, aceitando mecanismos de controle por parte da sociedade. Candidatos com um histórico de corrupção ou má gestão dos recursos públicos não devem receber nosso apoio nas eleições.
Voto consciente não é troca de favores, mas uma escolha livre. Procure conhecer os candidatos, sua história pessoal, suas idéias e as propostas defendidas por eles e os partidos aos quais estão filiados. Vote em candidatos que representem e defendam, depois de eleitos, as convicções que você também defende.
A religião pertence à identidade de um povo. Vote em candidatos que respeitem a liberdade de consciência, as convicções religiosas dos cidadãos, seus símbolos religiosos e a livre manifestação de sua fé.
A Família é um patrimônio da humanidade e um bem insubstituível para a pessoa. Ajude a promover, com seu voto, a proteção da família contra todas as ameaças à sua missão e identidade natural. A sociedade que descuida da família destrói as próprias bases.
Votar é importante, mas ainda não é tudo. Acompanhe, depois das eleições, as ações e decisões políticas e administrativas dos governantes e parlamentares, para cobrar deles a coerência para com as promessas de campanha e apoiar as decisões acertadas.
Dom Nelson Westrupp, scj - Presidente do CONSER
Dom Benedito Beni dos Santos - Vice-Presidente
Dom Airton José dos Santos -Secretário-Geral

16 de set de 2010

"LECTIO DIVINA".


LEITURA ORANTE DA BÍBLIA.
O Concílio Vaticano II já dizia que “só pela luz da fé e meditação da Palavra de Deus, pode alguém, sempre e por toda a parte, reconhecer Deus, em quem vivemos, nos movemos e somos (At 17,28), procurar em todo o acontecimento a Sua vontade, ver Cristo em todos os homens”.(Vat. II, Apostolicam Actuositatem, 4)
A leitura orante da Bíblia é um instrumento para aprofundar o que Deus quer da minha vida dia após dia. É um exercício que me ajuda, aos poucos, a interiorizar as mesmas atitudes e comportamentos que foram do próprio Jesus, que obedeceu ao Pai até o último momento da sua existência.
O texto a se refletir ou meditar pode ser o Evangelho ou a leitura do dia, ou qualquer outra leitura da Bíblia.
INICIANDO:
Antes de começar a “lectio divina”, devo fazer um momento de silêncio pensando que vou encontrar o Senhor. Peço a Deus perdão pelas minhas ofensas porque a pureza do coração e a humildade são características fundamentais para entrar na leitura do texto bíblico.
Em um segundo momento, coloco-me na presença de Deus, rezo um Pai Nosso tentando olhar-me como Deus me olha. No fim, peço ao Pai o dom do Espírito Santo porque a Bíblia é um livro inspirado por Deus e, portanto, deve ser lido e interpretado com a ajuda do Espírito Santo.
PRIMEIRO PASSO:
A leitura do texto
A leitura consiste em alimentar-se da Palavra. Ela deve ser feita com atenção, com serenidade, sem subestimar o que pode parecer secundário e interpretando corretamente o sentido histórico. É importante ler e reler o texto, tentando compreender o que se acabou de ler, procurando questionar-se sobre o sentido das palavras e prestando atenção sobre o que elas querem nos dizer.
SEGUNDO PASSO:
A meditação
Através da meditação se examina a Palavra, se guarda no coração como fez Maria, que “conservava cuidadosamente todos os acontecimentos e os meditava no seu coração” (Lc 2,19).
O objetivo deste passo é chegar ao conhecimento da verdade que está contida na Palavra. O termo usado por muitos autores aqui é “mastigar e ruminar” o texto bíblico para aprofundar e penetrar nas palavras e mensagens. Atrás de cada palavra está o Senhor que me fala.
Aqui é importante recordar outros passos bíblicos paralelos, a compreender e confrontar o texto com a minha vida ou com experiências do passado, estimular o desejo de saber o que Deus quer de mim...
TERCEIRO PASSO:
A oração
Vou ofertar na oração o que a leitura e a meditação do texto me fizeram conhecer e desejar. Neste momento falo com o Senhor de amigo para amigo sobre aquilo que o Espírito me inspirou.
A oração, portanto, se torna uma entre as possíveis respostas ao apelo do Senhor. É uma reação que segue ao toque que Deus operou no meu coração através da Sua Palavra.
E assim a Palavra de Deus se torna uma Luz para o meu caminho. É algo que orienta os meus passos, o meu viver. Conforme estou vivendo a minha vida, posso pedir neste diálogo com Deus que Ele me oriente, posso pedir-lhe perdão pelas minhas ofensas, louvá-lo e agradecer.
E se estiver pensando no meu futuro, posso aproveitar deste momento para pedir-lhe a Luz necessária para fazer a Sua vontade e encontrar o caminho que Ele desde sempre traçou para mim.

Adaptação do texto do Pe. José Negri


11 de set de 2010

FÉ EM SI MESMO!


Sei quem sou, sei dos meus limites, sei dos meus valores. Não estou nem acima e nem abaixo  dos outros. Estou perto e ao lado . Eles valem e eu valho muito. Crer no outro significa ver verdade nele.
Em geral a gente crê nos outros. Nossos relacionamentos nos levam a isso. Escolhemos crer em determinadas pessoas. Mas todos precisamos apostar também em nossas capacidades; se não crermos em nós, teremos dificuldade de crer nos outros.
É como o amor. Quem não se ama, acaba não amando os outros.
Os outros são lindos, mas nós também somos!
Autoestima é sentimento bom; se for demais vira vaidade e orgulho; se for de menos vira humildade errada; se for sereno vira virtude que faz a pessoa saber o seu lugar, o seu momento e a sua chance.
Busquemos a autoestima!
Pe. Zezinho, scj
MAS NÃO EXAGEREMOS!!!