28 de mai de 2011

REPENSAR O JÁ PENSADO.

Como vemos a vida? O que as crianças aprendem que é a vida? E o que nós, adultos, acreditamos que ela seja? As crianças, no mundo de hoje, são sufocadas pelo acúmulo de atividades porque seus pais acreditam que elas devam se preparar para ter sucesso no futuro. Os pais anseiam que seus filhos tenham mais do que eles conseguiram ter, mesmo sem procurar saber quais são as necessidades reais de seus filhos. Mesmo os pais, muitas vezes, não se preocuparam em descobrir quais eram suas próprias necessidades e passaram boa parte de suas vidas sendo levados pela onda devastadora das idéias impostas pelo mundo moderno. A subjetividade deixou de ser importante porque o coletivo dita quais são as necessidades de todos, igualmente. Os adultos se deixam robotizar e, sem perceber, acabam por robotizar também os seus filhos. A necessidade de cada um vem do desejo de ter o que o outro tem e de ser o que o outro é. Aceita-se tudo muito facilmente porque pensa-se pouco. As pessoas não querem mais gastar tempo nem para pensar e preferem usar pensamentos já prontos porque é mais prático assim. A exemplo da fast-food, a comida rápida, lançaram também o fast-thought, o pensamento rápido, de fácil acesso a todos. A criança pede aos pais um par de tênis de uma determinada marca porque todos os seus amigos têm tênis daquela marca. Não importa se ela precisa daquele par de tênis, ou se o acha realmente bonito e confortável. A classe já pensou por ela e ela aceitou o pensamento. E quando os pais questionam a necessidade de comprar aquele par de tênis, a criança, que se acha muito esperta, se apóia em atitudes semelhantes tomadas por seus próprios pais.
Como agirão, com seus filhos, os filhos desses pais? Provavelmente, de forma parecida com a que seus pais agem com eles. Não quero questionar e nem apontar culpados, apenas evidenciar o problema, pois não fomos feitos para ser espelhos de ninguém! Um dos lados tem de romper a corrente. Quem romper a corrente, ganha o jogo! O melhor da história, é que ganha para os dois lados: o dos adultos e o das crianças.
Os pais, se perceberem como estão gastando mal o seu tempo e mudarem o rumo de suas vidas, poderão dar exemplos aos seus filhos, resgatando os valores da família e mostrando que a vida não precisa ser levada pelas ondas do mundo. Mas, se os filhos perceberem o engano antes dos pais, também podem repensar o já pensado e mostrar aos pais outras possibilidades para o ser.
Todos podemos refletir antes de aceitar os pensamentos prontos que nos são oferecidos a todo instante, mas tenhamos cuidado para que, ao escaparmos de uma armadilha, não caiamos em outra!
Combatamos a preguiça intelectual! Provoquemos o pensamento!

23 de mai de 2011

BEATIFICAÇÃO DE IRMÃ DULCE LOPES PONTES.

Na beatificação de Irmã Dulce, que aconteceu neste dia 22 de maio, em Salvador, o papa Bento XVI foi representado pelo arcebispo emérito de Salvador, cardeal dom Geraldo Majella Agnelo. Em sua homilia, o arcebispo emérito destacou as virtudes da nova beata e a alegria do povo, principalmente a do povo baiano, com a beatificação.
“Contemplamos a vida santa da Irmã Dulce, com todos os frutos em favor não só dos carentes de tudo, especialmente da saúde, mas também do testemunho da sua união com Deus, através da escuta e contemplação da sua Palavra e da comunhão diária do seu Corpo e do seu Sangue na celebração da Eucaristia que é a oferta do sacrifício redentor de Cristo ao Pai celeste”, destacou dom Majella.
“Hoje, estamos celebrando a santidade de Deus que deseja ver reproduzida em cada um de seus filhos. Estamos celebrando a vitória do amor de Deus no coração desta criatura tão pequenina e frágil para realizar tantos milagres de amor. O que é a santidade de Deus? Deus é o Amor infinito e por isso é a verdade, é a justiça, é a misericórdia, é o perdão, é a bondade”, disse.
Fonte: CNBB

14 de mai de 2011

CELEBRAMOS, NESTE DIA 15 DE MAIO DE 2011, O 48º DIA MUNDIAL DE ORAÇÃO PELAS VOCAÇÕES.

"EUSOU A PORTA. QUEM ENTRAR POR MIM SERÁ SALVO."
O SENHOR É O PASTOR QUE NOS CONDUZ!
“A capacidade de cultivar as vocações é sinal característico da vitalidade de uma Igreja local.” (Bento XVI) .
Como é belo quando se percebe nas nossas comunidades, a estima e o carinho que se tem em relação aos seus padres. São tantas as comunidades que manifestam a vontade de terem um padre mais perto, de se tornaram paróquia para poder contar com a presença do sacerdote.
Jesus, antes que escolhesse e chamasse seus apóstolos do meio dos discípulos, ele retirou-se em oração, a escuta da vontade de Pai. ( Lc 6/12). Por isso, assim como Cristo rezou, também nós, somos convidados a rezar para que o Senhor da Messe suscite mais jovens generosos para aceitar o chamado de Deus. O dever de fomentar as vocações pertence a toda a comunidade cristã, que as deve promover, sobretudo mediante uma vida plenamente cristã.
Em nossas igrejas, devemos constantemente fazer preces e súplicas pelas vocações sacerdotais e religiosas. O Santo Padre Bento XVI nos diz: “Os homens sempre terão necessidade de Deus – mesmo em época do predomínio da técnica no mundo e da globalização – do Deus que se mostrou a nós em Jesus Cristo e nos reúne na Igreja, para aprender, com Ele, a verdadeira vida, manter presentes e tornar eficazes os critérios da verdadeira humanidade.”
Bento XVI ainda fala: “Especialmente neste tempo, em que a voz do Senhor parece sufocada por outras vozes e a proposta de seguir oferecendo a própria vida pode parecer demasiado difícil, cada comunidade cristã, cada fiel deveria assumir, conscientemente, o compromisso de promover as vocações. É importante encorajar e apoiar aqueles que mostram claros sinais de vocação à vida sacerdotal e a consagração religiosa, de modo que sintam o entusiasmo da comunidade inteira quando dizem o seu sim à Deus e à Igreja.” Portanto, para promover as vocações específicas ao ministério sacerdotal e à vida consagrada, para tornar mais forte e eficaz o anúncio vocacional, é indispensável o exemplo daqueles que já disseram o próprio “sim” a Deus, ao projeto de vida que Ele tem para cada um.
A história de toda vocação está interligada, quase sempre, com o testemunho de um sacerdote que vive com alegria a doação de si mesmo aos irmãos pelo Reino dos Céus. Isto porque a proximidade e a palavra de um padre são capazes de fazer despertar interrogações e de conduzir mesmo a decisões definitivas. Assim podemos afirmar que as vocações sacerdotais nascem do contato com os sacerdotes, quase como uma herança preciosa comunicada com a palavra, o exemplo e toda a existência.
Para promover as vocações específicas ao ministério sacerdotal e a vida consagrada, para tornar mais forte e eficaz o anúncio vocacional, á indispensável o exemplo daqueles que já disseram o próprio “sim” a Deus ao projeto de vida que Ele tem para cada um. Que o Dia Mundial das Vocações possa ser, mais uma vez, uma preciosa ocasião a muitos jovens para refletir sobre a própria vocação, respondendo com simplicidade, confiança e plena disponibilidade. A Virgem Maria, Mãe da Igreja, guarde cada pequena semente de vocação no coração daqueles que o Senhor chama a segui-lo mais de perto.
Dom Alfredo Scháffler - Bispo de Parnaíba, PI
Fonte: CNBB

13 de mai de 2011

13 DE MAIO, DIA DE N. SRA. DE FÁTIMA.

“Quem pensa que a missão profética de Fátima se concluiu, estaria enganado. A missão da Igreja hoje é mostrar o amor de Deus a uma humanidade disposta a sacrificar seus vínculos mais santos no altar de estreitos egoísmos da nação, etnia, ideologia, grupo, indivíduo.
O homem pode desencadear um ciclo de morte e de terror, mas não consegue interrompê-lo… Na Sagrada Escritura aparece com frequência que Deus está em busca de justos para salvar a cidade dos homens, e o mesmo acontece aqui, em Fátima.
Estreito ao coração todos os seus filhos e filhas, especialmente quantos vivem atribulados ou abandonados, no desejo de comunicar-lhes aquela esperança grande que arde no meu coração e que, em Fátima, se faz encontrar mais sensivelmente.
Sim! O Senhor, a nossa grande esperança, está conosco; no seu amor misericordioso, oferece um futuro ao seu povo: um futuro de comunhão consigo.”
Homilia do Papa Bento XVI (Missa no Santuário de Fátima, Portugal – 13/05/2010)
Fonte: Diocese de Taubaté

7 de mai de 2011

AS MÃES NA VIDA DA IGREJA.

A Igreja Católica, desde seus primórdios, tem na mãe um amparo seguro para sua fé. O exemplo típico é Maria, a mãe de Jesus, que estava presente junto aos apóstolos no momento em que o Espírito Santo desceu sobre eles no domingo de Pentecostes. O documento de Aparecida diz que “Maria é a presença materna indispensável e decisiva na gestação de um povo de filhos e irmãos, de discípulos e missionários de seu Filho” (nº 524).
A partir de Maria, muitas outras mães marcaram a caminhada da Igreja. Mães do estilo de Santa Mônica que derramou muitas lágrimas para que seu filho abandonasse a vida desregrada que estava levando e se transformasse no grande teólogo e doutor da Igreja, Santo Agostinho. Mães como Santa Rita de Cássia, que sofreu os maus tratos do marido e depois de viúva, entrou para a vida religiosa. Mães do estilo de Santa Isabel de Portugal, que na condição de rainha entregou seus bens pessoais aos necessitados e viveu na pobreza voluntária. Mães de papas, bispos, padres e religiosas. Mães catequistas, animadoras de comunidades e dinamizadoras do serviço da caridade. Mães dedicadas à transmissão da fé para seus filhos e solícitas companheiras para seus consortes, também na motivação para a prática religiosa.
O documento de Aparecida reconhece que as mulheres “constituem, geralmente, a maioria de nossas comunidades. São as primeiras transmissoras da fé e colaboradoras dos pastores”. Por isso, “é urgente valorizar a maternidade como missão excelente das mulheres”. A mãe “é insubstituível no lar, na educação dos filhos e na transmissão da fé” (456).
Por ocasião do Dia das Mães deste ano, queremos manifestar a nossa gratidão às inúmeras mães que assumem a sua fé na família e na comunidade. Queremos manifestar a nossa solidariedade às mães que sofrem por verem seus filhos trilhando o caminho das drogas e da violência. Manifestar o nosso apoio às mães que lutam para que seus filhos desenvolvam autênticos valores de vida e fé. Manifestar o nosso incentivo às mães que se empenham para que, conforme nos alertava a Campanha da Fraternidade, a vida possa continuar a seguir o seu normal rumo idealizado por Deus no momento da criação. Manifestar o nosso reconhecimento às mães que assumem sozinhas a educação dos filhos, pelo fato de terem sido abandonadas ou por terem se tornado viúvas. Manifestar a nossa admiração para com as mães que já são avós, e que tem a graça de conviverem com os filhos dos seus filhos.
Finalmente, queremos parabenizar a todas vocês mães! Que Deus as abençoe e lhes dê muitas alegrias através dos filhos que geraram!
Dom Canísio Klaus
Bispo Diocesano de Santa Cruz do Sul - RS
- - -
À MINHA MÃE, A QUEM EU AMO MUITO, QUE TAMBÉM ASSUMIU A SUA FÉ NA FAMÍLIA E NA COMUNIDADE, SENDO MINHA PRIMEIRA CATEQUISTA E TAMBÉM DE MUITAS CRIANÇAS, QUE ALÉM DE TUDO QUE FEZ POR MIM, DEDICOU-ME TODO O SEU AMOR, E A TODAS AS MÃES, DESEJO UM FELIZ E ABENÇOADO DIA DAS MÃES!

4 de mai de 2011

ORAÇÃO PEDINDO GRAÇAS POR INTERCESSÃO DO BEATO JOÃO PAULO II.

Ó Trindade Santa, nós Vos agradecemos por ter dado à Igreja o Beato João Paulo II e por ter feito resplandecer nele a ternura da vossa Paternidade, a glória da cruz de Cristo e o esplendor do Espírito de amor.
Confiando totalmente na vossa infinita misericórdia e na materna intercessão de Maria, ele foi para nós uma imagem viva de Jesus Bom Pastor, indicando-nos a santidade como a mais alta medida da vida cristã ordinária, caminho para alcançar a comunhão eterna Convosco.
Segundo a Vossa vontade, concedei-nos, por sua intercessão, a graça que imploramos, na esperança de que ele seja logo inscrito no número dos vossos santos.
Amém.

Com a aprovação eclesiástica: AGOSTINO CARD. VALLINI, Vigário Geral de Sua Santidade para a Diocese de Roma.

Comunicar as graças recebidas a:
Postulazione della Causa di Canonizzazione del Beato Giovanni Paolo II
Piazza S. Giovanni in Laterano, 6/a – 00184 Roma
Foto: Grzegorz Galazka
Fonte: Diocese de Taubaté