30 de ago de 2011

DAENS, UM GRITO DE JUSTIÇA!

Outro dia assisti ao filme “Daens, um grito de justiça”, que apresenta o momento em que a Europa caminha do feudalismo para o capitalismo, no final do século XIX. O filme mostra claramente a dificuldade que se enfrenta quando se luta contra as injustiças sociais. É revoltante ver as situações de desrespeito à dignidade humana e as condições degradantes de trabalho pelas quais passaram aquelas pessoas, principalmente as mulheres e as crianças, que trabalhavam até dezesseis horas por dia e ainda tinham os seus salários reduzidos por não produzirem tanto quanto os homens. Muitas crianças até morreram literalmente atropeladas pelas máquinas, engatinhando debaixo delas para recolher o algodão que seria reaproveitado depois. Tudo, fruto da ganância!
Apesar de tudo isso, o filme nos traz uma forte mensagem de esperança, que nos faz acreditar que mudanças são possíveis. E sabemos que muitos vivem, ainda hoje, em condições não muito melhores do que aquelas mostradas no filme, e até bem perto de nós. Sempre me lembro de uma frase do filósofo irlandês do séc. XVIII, Edmund Burke, que diz que “ninguém comete erro maior do que não fazer nada porque só pode fazer um pouco”, quando vejo questionados se os resultados serão compensadores, frente às dificuldades que serão enfrentadas quando se pensa em abraçar uma causa.
PE. ADOLF DAENS
Como nos mostra o filme, o Pe. Adolf Daens não se preocupou com as dificuldades que iria enfrentar e até que ponto poderia chegar, mas foi à luta para que, de alguma forma, a qualidade de vida daquela gente sofrida melhorasse. Ele fez a diferença e nós, se acreditarmos, também podemos fazer muito. Para terminar, cito dois pensamentos de São Francisco de Assis: “Comece fazendo o que é necessário, depois o que é possível; em breve estará fazendo o impossível”. “E depois que o Senhor me deu irmãos, ninguém me mostrou o que eu deveria fazer, mas o Altíssimo mesmo me revelou que eu deveria viver segundo a forma do Santo Evangelho.”

19 de ago de 2011

SAGRADA ESCRITURA, O CAMINHO DA VIDA!

"TODOS OS CAMINHOS DA TERRA PODEM SER OCASIÕES DE UM ENCONTRO COM CRISTO!"

Certo dia, Jesus estava à beira do lago de Genesaré, e a multidão se comprimia a seu redor para ouvir a Palavra de Deus. Ele viu dois barcos à beira do lago; os pescadores tinham descido e lavavam as redes.
Subiu num dos barcos, o de Simão, e pediu que se afastasse um pouco da terra. Sentado, desde o barco, ensinava as multidões.
Quando acabou de falar, disse a Simão: “Avança mais para o fundo, e ali lançai vossas redes para a pesca”.
Simão respondeu: “Mestre, trabalhamos a noite inteira e não pegamos nada. Mas, pela tua palavra, lançarei as redes”.
Agindo assim, pegaram tamanha quantidade de peixes que as redes se rompiam.
Fizeram sinal aos companheiros do outro barco, para que viessem ajudá-los. Eles vieram e encheram os dois barcos a ponto de quase afundarem.
Vendo isso, Simão Pedro caiu de joelhos diante de Jesus, dizendo: “Afasta-te de mim, Senhor, porque sou um pecador!”
Ele e todos os que estavam com ele ficaram espantados com a quantidade de peixes que tinham pescado.
O mesmo ocorreu a Tiago e João, filhos de Zebedeu e sócios de Simão. Jesus disse a Simão: “Não tenhas medo! De agora em diante serás pescador de homens!”
Eles levaram os barcos para a margem, deixaram tudo e seguiram Jesus.
(Lc 5, 1-11)

PARA REFLETIR:
"Viemos dizer com São Pedro, com a humildade de quem se sabe pecador e pouca coisa — homo peccator sum (Lc 5, 8), mas com a fé de quem se deixa guiar pela mão de Deus, que a santidade não é coisa para privilegiados, que a todos nos chama o Senhor, que de todos espera Amor; de todos, estejam onde estiverem; de todos, qualquer que seja o seu estado, a sua profissão ou o seu ofício, porque essa vida corrente, comum, sem aparência, pode ser meio de santidade. Não é necessário abandonar o próprio estado no mundo para buscar a Deus se o Senhor não dá a uma alma a vocação religiosa, uma vez que todos os caminhos da terra podem ser ocasiões de um encontro com Cristo.”
São Josemaria Escrivá

14 de ago de 2011

BEM-AVENTURADA DULCE DOS POBRES.

IMAGEM E RELIQUIA RECEBIDAS NA CATEDRAL DE SÃO FRANCISCO, EM TAUBATÉ
A imagem e a relíquia de Irmã Dulce foram recebidas neste dia de festa, na Catedral de São Francisco da Chagas, em Taubaté. A Santa Missa foi presidida pelo bispo emérito, Dom Antonio Affonso de Miranda, em comemoração ao 61º aniversário da sagração desta Catedral. Durante a cerimônia, alguns seminaristas da residência teológica da Diocese de Taubaté foram instituídos nos ministérios de leitorato e acolitato. 
O dia 13 de agosto foi escolhido como dia da Beata Dulce, pois nesta data a então jovem aspirante Maria Rita entrou para a Congregação das Irmãs Missionárias da Imaculada Conceição da Mãe de Deus com o nome de Irmã Dulce. O dia da "Bem-aventurada Dulce dos Pobres" já está integrado ao calendário litúrgico da Igreja.

10 de ago de 2011

10 DE AGOSTO É O DIA DE SÃO LOURENÇO E O DIA DO DIÁCONO.

Nós festejamos, neste dia, a vida de santidade e martírio do Diácono que nem chicotes, algozes, chamas, tormentos e correntes puderam contra sua fé e amor ao Cristo. Lourenço, espanhol, natural de Huesca, foi um Diácono de bom humor que servia a Deus na Igreja de Roma durante meados do Século III.
Conta-nos a história que São Lourenço, como primeiro dos Diáconos, tinha grande amizade com o Papa Sisto II, tanto assim que ao vê-lo indo para o martírio falou: "Ó pai, aonde vais sem o teu filho? Tu que jamais ofereceste o sacrifício sem a assistência do teu Diácono, vais agora sozinho, para o martírio?". E o Papa respondeu: "Mais uns dias e te aguarda uma coroa mais bonita!". São Lourenço era também responsável pela administração dos bens da Igreja que sustentava muitos necessitados.
Diante da perseguição do Imperador Valeriano, o prefeito local exigiu de Lourenço os tesouros da Igreja. Para isto, o Santo Diácono pediu um prazo, o qual foi o suficiente para reunir no átrio os órfãos, os cegos, os coxos, as viúvas, os idosos, enfim, todos os que a Igreja socorria. No fim do prazo, com bom humor, disse: "Eis aqui os nossos tesouros, que nunca diminuem, e podem ser encontrados em toda parte".
Sentindo-se iludido, o prefeito sujeitou o santo a diversos tormentos, até colocá-lo sobre um braseiro ardente. São Lourenço, que sofreu o martírio em 258, não parava de interceder por todos, e mesmo assim encontrou, no Espírito Santo, força para dizer no auge do sofrimento na grelha: "Vira-me que já estou bem assado deste lado".
Roma cristã venera o santo espanhol com a mesma veneração e respeito com que honra seus primeiros Apóstolos. Depois de São Pedro e São Paulo, a festa de São Lourenço foi a maior da antiga liturgia romana. O que foi Santo Estevão em Jerusalém, isso mesmo o foi São Lourenço em Roma.
São Lourenço, rogai por nós!
Fonte: Canção Nova

4 de ago de 2011

DIA 4 DE AGOSTO É O DIA DE SÃO JOÃO MARIA VIANNEY E O DIA DO PADRE.

POR TODOS OS PADRES, PEÇAMOS A DEUS QUE CONTINUE ABENÇOANDO MUITO AS SUAS VIDAS E PARA QUE PERSEVEREM NAS MISSÕES A ELES CONFIADAS!